sábado, 28 de maio de 2011


eu sei todos os teus segredos, e tu sabes todos os meus também. eu acreditei que tu, algum dia serias mesmo meu. acreditei que um dia ias-me segurar a mão com tanta força e nunca mais me largar. acreditei que me irias beijar á frente de todos e irias dizer 'é esta.'. acreditei que tudo o que vivemos iria significar o mesmo que significou para mim. acreditei que tudo o que, eu lutei, não seria em vão. acreditei que todas as lágrimas que deitava á noite, ao ouvir a nossa música, amanhã iriam-se tornar em sorrisos. acreditei que em noites de tempestade tu irias-me bater á porta, e abraçares-me e dizeres-me ao ouvido 'não te preocupes, eu estou aqui.'. acreditei que eras perfeito para mim, talvez até sejas, demasiado perfeito para o meu ser, no qual tu dizes ser tão complexo, e talvez por tão seres assim tão perfeito como todos dizem tu seres, eu vou-te deixar ir, não digo que seja para sempre, mas até tu voltares-me a conquistar, ou até dares um sinal, por mais pequeno que seja, que afinal sou a tua princesa, sou a mulher da tua vida, como tu dizias no inicio de tudo. eu não prometo que não estarei sempre aqui, porque se me conheço bem, logo á noite estarei a mandar-te mensagem e que agora,á tarde é só mais uma inútil desistência do amor que sinto por ti, inútil porque não irá dar em nada e quando a tempestade voltar, eu irei outra vez lamentar-me por desistir tão rápido, pois é por tu ainda me dares esperanças falsas ou por gostar de sofrer, mas no mesmo mundo de sofrimento tu ainda me dares bastantes alegrias.

(inventado)

1 comentário: