sábado, 7 de maio de 2011

g'b

como é que pensei que te conhecia? como é que pensei que descobriria sempre a tua resposta ás minhas perguntas? como é que pensei que estarias sempre cá, independentemente de tudo o que me tivesse acontecido comigo? como é que pensei assim? sabes. pensei assim, porque não tinha noção do quão falso tu eras. das quantas faces tinhas, consoante as pessoas que te davas. do quanto mentiroso és, para que a tua reputação seja sempre bem vista. para que ganhes e ganhes mais do teus amigos de intervalos. para agradares a toda a gente, aliás foi sempre isso que quiseste, seres o 'homem perfeito' , mas sabes? és, és realmente perfeito, mas para quem não te conheça. és realmente perfeito, mas só mesmo de vista. agora sabes o porquê de não ter saudades, de não saber se devia ter-te dado outra oportunidade, agora tenho a 'tua' resposta. arrependi-me, aliás é raro não me arrepender de tudo o que fiz contigo. é raro não me arrepender de todas as segundas oportunidades que te dei, e por incrivel que pareça tu erras em todas, já deve fazer parte de ti mesmo. e se gostas assim tanto de desiludir as pessoas, se gostas assim tanto de aparentar uma pessoa que não és, boa sorte com isso, mas eu ficarei por cá.
e peço-te novamente, não quero um 'até já' , mas sim um 'até nunca'.

2 comentários: