terça-feira, 10 de maio de 2011

será a ultima vez, prometo.


prometeste-me um sempre, que nada seria esquecido, que irias lutar até o teu sangue parar de te correr pelo corpo, até á tua ultima palavra. pelos vistos eram apenas meras palavras que dizias para eu me sentir bem , para ter uma segurança. estes últimos dias tem sido insuportáveis. á noite ou a meio da tarde, tu percorres-me o pensamento, tudo o que vivemos vem-me á cabeça, tudo o que sorri e chorei contigo também, eu esforço-me para não chorar, esforço-me para ninguém dar de conta que estou mal, estar mal por alguém como tu, como é que as coisas puderam mudar tanto, como é que me encontro assim, de rastos por alguém como tu, que deu tudo por tudo, mas que também a estragou.
eu não aguento mais este sufoco, portanto vou seguir os teus passos, cagar. é sempre o mais fácil, e como eu para ti não era nada, foi rápido. eu não aguento mais, e garanto-te que os dias que se avizinham serão diferentes, eu vou parar de pensar em ti e nas quantas saudades tenho de te abraçar, eu vou parar, agora mesmo. não vale a pena pensar em algo que acabou. portanto, esta será a ultima vez que escreverei para ti, se acontecer alguma coisa, eu saberei, não necessitas de me contar. as saudades irão desaparecer, pelo menos eu farei os impossíveis para que isso aconteça. boa sorte e obrigada mais uma vez. amo-te pela última vez g.


1 comentário: