quinta-feira, 14 de julho de 2011


deixaste-me sem imaginação mas não me deixaste sem memória ou não paraste este ridiculo sentimento que a cada dia que passa se torna mais forte, este sentimento que já não deveria existir. não deixaste de invadir o meu pensamento durante a noite e de descontrolar o esforço que ainda faço para por ti não chorar.  não anulaste todas as questões que pairam na minha cabeça e também não repuseste nenhuma das tuas afirmações ou promessas feitas numa tarde, meio louca. não desmentiste todos os teus actos mas também não os provaste. as minhas lágrimas ainda correm por ti e as saudades que tenho por ti também (in)felizmente. amo-te meu conquistador de nuvens negras.

3 comentários: