sábado, 2 de julho de 2011


« e quando um pequeno gesto fazia a diferença, um pequeno aperto, um pequeno beijo ou um amo-te sincero. ultimamente só restam as lembranças de que um dia foi tudo perfeito, não por seres tu, mas por sermos nós. apenas me restam as mensagens gravadas no telemóvel e as lágrimas que por ti deitei, as noites a olhar para a lua a levar com o vento na cara, as noites em que apenas tu me invadias os sonhos e as noites em que me sentia sozinha e abandonada, sem ti ao meu lado, e sim não estavas cá, como não tens estado. eu preciso de ti, não só por seres tu, mas porque me fazes sorrir mal acordo, porque me abraças quando eu mais quero, porque tu conheces-me e eu nunca me senti assim com alguém. e quando percorrias montanhas para vires ter comigo, quando a ultima mensagem do dia era sempre tua, quando o ultimo telefonema do mês era teu e quando eu sabia que estarias lá sempre para me agarrares a mão para eu  sonhar connosco a noite inteira e de manhã acordar e uma mensagem tua ter e passar o dia todo a dizer que sonhei contigo e no final do dia tu dizeres que nunca me querias perder. amo-te 3 »

2 comentários: