quarta-feira, 27 de julho de 2011



passado poucos anos de vida, de uma vida injusta, apercebo-me não só pelas experiências que passo, mas pelas experiências que assisto e que me são relatas, que vivemos diariamente lutando e impondo objectivos que nunca serão ultrapassados. vivemos a vida, uma vida que nunca será vitoriosa e que no final  não conseguiremos dizer eu ganhei esta dura batalha. erramos, desiludimos, vivemos, choramos e sorrimos por algo que nunca foi nosso, por acções de possiveis boas pessoas que num dia demos tudo e esforçamo-nos apenas por achar que é o mais correcto para o nosso estupido coração. aliviamo-nos em pequenos mas desesperados vicios ou em pessoas que estão disponibilizadas, durante toda esta batalha, para nós. como sempre nada é uma grande vitoria para nós, visto que para termos algo, algo que seja realmente nosso, é preciso sofrer, e que no final de uma grande guerra de sentimentos e loucas acções, a dor que carregamos de uma ausência ou de uma perda de alguém ou simplesmente dos anos de sofrimento que nos causaram é muito maior, levando-nos a procurar ou optimizar os nossos objectivos de vida. concluindo então que a nossa vida não passa de uma grave rotina, com experiencias diferentes, mas ao mesmo tempo iguais. life suck's.

2 comentários: