quarta-feira, 31 de agosto de 2011


eu queria escrever, mas estás muito calma, vida. e para te ser sincera não tenho andado com muito imaginação para criar textos reflectivos. apenas queria sentir os meus dedos a tocarem nas teclas e escreverem pequenas frases que me dão variados sentidos á minha vida. não quero uma vida rápida, nem uma vida calma. quero uma vida com amor e tristeza, com caídas e recaídas, mas também com ajudas para me levantar. com sorrisos e lágrimas e com objectivos. quero um abraço de manhã e uma palavra quente á noite. quero uma verdade fria e uma lágrima amarga. quero viver uma vida de uma normal adolescente, nem uma vida muito branca nem muito preta. uma vida com várias cores e principalmente com várias pessoas.

1 comentário: