sexta-feira, 5 de agosto de 2011



fui em busca de um novo ponto de repouso e uma nova inspiração, algo que me acalmasse e algo que me fizesse pensar ou apenas reflectir,e para minha surpresa, neste curto espaço de tempo não encontrei nada e como vos prometi disse que vinha num dia tempestade. e aqui estou, a cumprir a promessa e a desabafar com alguém que não me compreenda.
precisava de chegar a um momento em que ficaria sozinha, não no meu quarto mas sim no meu mundo. talvez não tenha sido a resposta para todas as minhas estúpidas e inocentes perguntas, mas foi o que achei mais correcto no momento. as minhas noites tornaram-se violentas e bastante húmidas, para um quarto que já está habituado a lágrimas. algumas pessoas ao longo dos dias vão sentindo a minha falta, talvez não pelo o motivo que quero. outras apenas acabaram por desistir. e outras ainda estão a tentar conquistar-me. algumas verdades, neste caminho um pouco distante de tudo, foram descobertas, magoaram mas tudo o que é bom dura pouco tempo. talvez chegue o dia em que me atire de olhos fechados em busca de algo diferente, mas mantendo o normal, ou então desistindo de tudo de olhos abertos. talvez seja mais um dos meus momentos de pura raiva em que o esforço que faço para controlar-vos, sim ás minhas lágrimas, não seja tão grande como a dor que suporto no coração e então seja necessário ser libertada pela água pura salgada que vão de encontro ás teclas. obrigada por me aliviares mais uma vez, minha querida e tão deseja escrita, tinha saudades disto.

Sem comentários:

Enviar um comentário