terça-feira, 20 de setembro de 2011


deixaram de se importar. deixaram de se preocupar, ou talvez nunca se preocuparam mesmo. deixaram de sorrir, mesmo que fosse falso, ficaria sempre bem. deixaram de procurar e de ir em busca de mim. cada um vivendo a sua vida, e cada um lutando pelos seus objectivos. há muito tempo que não luto por aquilo que quero. há noite questiono-me de porquês e tento ir á procura do objectivo inicial, e conclusão, já não o encontro e neste caminho, por onde fui em busca de algo que me fizesse realmente feliz, desapareceu ou então, aqui, nunca será encontrado. sorriu e tento enfrentar o mundo imperfeito, cheio de mágoas passadas e discussões diárias. visto-me e olho uma ultima vez ao espelho e fico sempre com a esperança que hoje algo de bom irá acontecer e irá fazer-me rir de verdade, ou que me irá abraçar como há muito não me abraça, ou dirá conselhos inesqueciveis e ao mesmo tempo transmitindo com os olhos o quanto me ama. tento encaixar-me no mundo que, talvez, já não pertença. um mundo que há muito tempo já não é vivido. um mundo que apenas percorre, enquanto o tic-tac do relógio continua, deixando o vento passar entre as minhas mãos e deixando a cair mais um gota, entre muitas outras.

1 comentário: