sábado, 5 de novembro de 2011



tudo mudou. tornamos-nos um nada, cheio de promessas e lágrimas. cheio de memórias e de palavras incompreendidas. um nada que já pouco avança e pouco tem para dar. já fomos tanto, já fomos as melhores, acredita. tu sabes como me magoar e sabes o quanto é bom para mim manter-me neste silêncio, reservar-me entre os lençois e permanecer assim, até ao proximo sorriso. sabes como ignorar-me e todas as tuas atitudes provam isso, provam o quanto ainda me continuas a conhecer e o quanto eu ainda te conheço para dizer que não falas comigo, apenas por tentares mostrar-me que consegues viver sem mim, para me mostrares que a minha perda te tornou mais forte e que não notas a minha ausência. um olhar teu, vale mais do que mil palavras, e a quantidade de palavras que tentas dizer entre os teus olhares, deu para perceber o que queres eu te diga, o que queres que te faça e o quanto ainda precisas de mim. eu mudei, acredita. tornei-me fria. tornei-me agressiva quando toco em sentimentos que se dependenssem de mim já estariam esquecidos. eu já nao choro á algum tempo, durante a noite por ti, mas eu juro que adormeço todos os dia agarrada ao teu peluche e digo todas as noites 'boa noite princesa', como dizia todas as noites que adormecia contigo. não adienta falares, se eu própria talvez não queira ouvir.
 acredita, que nunca serás passado para mim.

1 comentário: