quinta-feira, 29 de dezembro de 2011


desperdicei o meu tempo. desperdicei o meu coração. desperdicei grande parte das minhas memórias a guardar o nosso ultimo beijo. desperdicei palavras e, acima de tudo, desperdicei noites. noites em que tu me invadias os pensamentos e eu sem nenhuma protecção, e na maior parte do tempo, iludida pelas tuas palavras, deixava-te entrar, sem nunca bateres á porta. deixava ser guiada por ti e, pelas tuas mãos que me percorriam o corpo. entreguei-me a ti, como a areia se entrega todos os dias ao mar. pela primeira vez, dei tudo o que tinha, mas sai a perder. acreditei em ti, confiei-te as minhas maiores e mais intimas palavras, mostrei-te quem realmente era, sim porque com o tempo, acabei por crescer. acabei por-me tornar outra pessoa, alguém que tu modificaste, alguém que tu magoaste. ainda dói, ainda se torna doloroso, ainda é uma ferida contínua no meu coração, ainda tenho saudades, mas ninguém sabe, nem tu um dia chegarás a saber. não foste um erro, apenas uma pedra no meio do meu duro e longo caminho, uma pedra que vai e vem, uma pedra que também sente saudades, uma pedra que me amou, uma simples pedra que não sai do meu caminho.

1 comentário: