sábado, 31 de dezembro de 2011


é hoje. uma nova vida, aliás um novo rumo, eu espero. novas pessoas, novas amizades, novos sorrisos, novos caminhos, novas oportunidades, novas descobertas, e o que eu mais desejo para esta nova vida, é um novo amor. estou presa a ti, á demasiado tempo. as horas passam no nosso relógio, e infelizmente ainda espero pela tua chegada. ainda és o meu último pensamento antes de dormir, mas agora é diferente, tudo o que antes, tu tornavas complexo, agora tornou-se muito transparente, como água. tudo o que chorei, por momentos em tempos atrás, agora são sorrisos. a dor já é interna e já ninguém se apercebe do quanto esta ferida ainda dói, nem mesmo eu, agora, sei dizer o que sinto e o quanto me magoa este tempo que nos separou. ninguém percebe o quanto magoa este 'até já' constante que me dizes, sem nunca quereres um ponto final. já ninguém se apercebe da continuidade desta ferida perante o tempo. já ninguém se apercebe das noites em que me sinto perdida, por apenas segundos que sejam, mas tenho de voltar, tenho de pelo menos tentar fechar esta ferida que perdura, e que acaba por me destruir todos os dias. talvez o faça por vingança, ou talvez para o meu próprio bem. apenas tenho de enfrentar, mais uma vez, o meu maior medo, o meu único e magoado coração.



1 comentário:

  1. estarei aqui , em todos os minutos , todas as horas , todos os dias , para te apoiar e viver contigo todos os momentos <3

    ResponderEliminar