sexta-feira, 13 de janeiro de 2012


e deparei-me com mentiras. aliás com falsos sorrisos. com palavras complicadas e por isso, com significados opostos. deparei-me com caminhos em risco, e buracos escuros. deparei-me com pessoas simples e ao mesmo tempo, indelicadas. deparei-me com o tempo, que nunca me fez esquecer-te, e o mais irónico, é que todos diziam que o tempo apagava a memória, que fazia-nos esquecer o que tanto nos fez bem e o que tanto nos fez chorar, sim o tempo, aquele que seria o nosso melhor, e honesto amigo. mas de ti, tempo, não encontro nenhuma perfeição. tu dás-me tempo para pensar, para voltar a cometer os mesmos erros. e nada do que fiz, ou o que possa fazer, será esquecido, por ti, meu mentiroso amigo. tu não me ajudas, apenas complicas e destrois esta angustia de estar fechada dentro de uma caixa, no coração de outro alguém.

2 comentários:

  1. gostei do teu blogue e segui, se quiseres passa no meu { http://omeuverdadeirosentido.blogspot.com/ }.
    Beijinhos e desculpa o incomodo (:

    ResponderEliminar