terça-feira, 17 de janeiro de 2012


incontrolávelmente, comecei a distinguir o cheiro do teu perfume, o teu agradável toque pela manhã e a forma como te dirigias a tudo o que te magoava. o meu caminho tornou-se vasto e muito longe do teu. de inicio era algo que eu própria combatia, e que todas as noites, chorava pela forma como nos fomos separando. mas fui ultrapassando. talvez o que sentia por ti não me deixava ir. mas depois de tantas quedas que dei, pelo ser insignificante que te tornaste, hoje, tive de me levantar. como é possível o ser que tanto me orgulhava, se ter tornado um ser tão falso. ainda hoje me espanto pela forma como me tratas, ou aliás, como queres transparecer a nossa amizade. ainda hoje me lembro de nós, como passado, como algo que aprendi e me fez fortalecer ao longo dos meses. mudaste tanto, mais do que me foste dizendo e mais do que eu aparentava. tornaste algo que nunca conheci, e ainda hoje sou obrigada a conviver com aquilo que te tornaste. não te vou criticar, escolheste o teu caminho, e eu, escolhi o meu. espero que a tua vida te corra bem, ou derrubando todos eu tentado ultrapassar os outros. já não vou estar cá como te prometi, antigamente. pois tu, podias estar ai, mas apenas para me destruires.

Sem comentários:

Enviar um comentário