terça-feira, 10 de janeiro de 2012


perdi a cor dos meus olhos, por estarem tão vidrados nos teus. perdi o toque da leve brisa por estar tão habituada a passar frio. esta rotina em que me viciaste, e que ao fim de tanto tempo acabaste por te viciar também, destroi-me. perdi a cor da tinta da minha caneta e estas folhas já se encontram tão gastas, por estar constantemente a falar do mesmo. vivo á volta desta nossa rotina consecutiva. não me arrependo de nada do que possa fazer, ou do que deixei ficar dentro do meu único lugar que é apenas teu, o meu coração, pois sei que virás. virás para sentir de novo o toque dos meus lábios, as minhas suaves mãos a passar pelo teu cabelo meio bagunçado e para sentir a minha respiração, ao sentir o teu coração a bater fortemente. sei que vens apenas para repetir as palavras de sempre, para repetires o que me disseste no passado, para repetir aquilo que eu já decorei. sei que o teu caminho é vasto, que não tens tantas pedras, como o meu, mas sei que cais, sei que nem sempre te encontras em pé, a caminhar contra o Sol, na esperança que algo que te encontre, tal como eu, e ao contrário de mim, tu sabes que eu te amo, mas que não te procuro, apenas porque esta tua ausência, retira-me diariamente as forças para ir em busca do teu coração, que em tempos, foi meu.

1 comentário:

  1. Olá, parabéns pelo seu blog.
    Te convido a conhecer o meu,
    http://carmasepalavras.blogspot.com/

    ;)

    ResponderEliminar