segunda-feira, 23 de janeiro de 2012


todas as noites o tic-toc do relógio atormenta-me. sei que a cada hora perco mais uma chance de te ter, de te poder dizer que sempre foste o meu eleito. hoje, olho para todas as fotografias e sei que tudo o que as belas histórias de amor dizem, eu poderia te-lo feito contigo. todas as horas são poucas para me poder justificar, e todos os intervalos de tempo em que me encontro só, tu e só tu, és meu primeiro pensamento, a minha primeira lágrima e mesmo assim consegues ser sempre o meu último sorriso. consegues ser sempre o quente da minha gelada cama. consegues mesmo assim, acalmar-me apenas por pensar que já foste meu e que te tive por poucos minutos. e já não adianta dizer que entreguei tudo aquilo que nunca soube cuidar ao vento, pois sei que como eu, tu tens consciência disso. só espero que também me voltes a conhecer, desde a minha primeira e ultima partida. pareceu-te estranho, nunca teres reconhecido a pessoa que me tornei, e acredita que a mim também, mas como digo, um coração magoado muda as pessoas, e por mais magoado que este coração esteja, ele chamará sempre por ti. espera por mim, pode ser que eu volte para te reconquistar de novo, e por favor, agora sê tu a viver nestas incertezas enquanto as ondas do nosso mar não se acalmam, pois durante muitos meses, eu nunca naufraguei apenas porque o meu barco se partiu e tu, infelizmente, não estavas lá para o arranjar. «tens que aprender que certas pessoas permanecem no teu coração mas não na tua vida. » e como te disse, eu quero permanecer no teu coração e gravar-me na tua vida.

Sem comentários:

Enviar um comentário