terça-feira, 7 de fevereiro de 2012



e vamos falar desta saudade que tu não sentes. deste sentimento que me percorre o corpo todos os dias e que tu, nunca o tiveste. vamos falar destes tempos de inverno em que eu poderia estar ao teu lado, a olhar para esses olhos grandes. poderia falar das milhares de coisas que fingias sentir , e eu em vez de fingir que acreditava, criava o nosso mundo, sozinha. é tão fácil mentir, principalmente por saberes na pessoa forte em que me estava a tornar. é tão fácil sorrir, principalmente quando as pessoas já se habituaram á rotina. é tão fácil apegar-nos a algo que nos prometeu ser nosso, não até sempre, mas até ao fim. mas e hoje eu pergunto-me e quando será o nosso fim, agora, ou já o foi? se foi, eu nunca me cheguei a despedir e todos os dias me arrependo disso. todos os dias conto as horas para chegar ao dia em que te conheci para te puder dizer tudo, e mais uma vez não esperar pela tua resposta. a vida é feita de escolhas e tu foste a escolha certa, do momento errado para um futuro incerto com a pessoa que menos precisava deste caminho.

Sem comentários:

Enviar um comentário