terça-feira, 19 de junho de 2012


a vida é feita de largos e cruzados caminhos. nós vivemos o nosso, na época certa, porque agora, ao saber no que realmente te tornaste, orgulho-me daquilo que vivi contigo, das horas que perdi a chorar, ou do tempo que gastei ao estar naqueles prédios, em busca de um beijo a meio da tarde. fugiste-me com o coração, deixaste-me ao abandono sem te preocupares com o meu estado. aparecias quando tu querias, só para voltares a sentir os meus lábios, algo que conseguias facilmente. hoje vi-te entrar, li de novo o nosso histórico. faz tanto tempo que não sei o que é receber uma mensagem tua, o que é amar, sim porque eu amei-te, e provavelmente fui das raparigas que mais te amou e tu nem sequer deste conta. saíste da minha vida, e a pessoa em que tu te tornaste ajudou-me a vencer esta dor que se ocupou do meu coração e sabes? sempre que escrevo para ti, uma lágrima cai-me, é a saudade (..) caminho todos os dias, e faz imenso tempo que não pensava em ti, ultrapassei-te, e espero que tu tenhas feito o mesmo, tenhas vencido esse teu próprio orgulho e que te lembres de mim, como eu me lembro de ti. o nosso caminho diferenciou-se, porque tu mudaste e hoje agradeço por isso. nunca me irei esquecer de ti, foste o meu primeiro amor, o que me ensinou tudo e o que esteve cá, quando estive sozinha, mas a vida é assim, tu saíste da minha vida e eu aprendi a viver sem ti. continuo com aquele carinho especial por ti, com aquela saudade em ter abraçar ou saber que estava bem ao teu lado sabendo que tínhamos o mundo contra nós, pelo menos sabia que por algum tempo tu fazias-me sonhar e acreditar que tudo o que vivíamos era real. amo-te, não da mesma forma, mas será sempre com a mesma intensidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário