terça-feira, 17 de julho de 2012



são duas da manhã, e acabo de matar uma melga que estava a zumbir na minha orelha. esteve calor hoje, mas eu continuo fria. já não sei escrever, as palavras por vezes desaparecem e eu tento alcanças sempre com um grande sorriso na cara. reviro os meus olhos para cima todos os dias, apenas para não me veres chorar, para não percebes que cada vez menos me encaixo nesse teu mundo. para não perceberes que todos os dias tento acompanhar-te, mas tu nunca me deixas alcançar os teus passos. ultimamente não tens percebido nada e provavelmente quando fores ler esta carta, nem te vais lembrar que estou a direcciona-la a ti, mas não te preocupes, sempre te disse que habituo-me rápido as coisas, pelo menos tento mostrar que sim, porque realmente são poucas as pessoas que se preocupam como estou por dentro. a felicidade é o melhor meio para destruir a tua dor e tu alcançaste-a, espero que isso não destrua a felicidade dos outros. espero-te no caminho de sempre, porque se caíres, eu vou cá estar, como sempre.

2 comentários:

  1. exatamente!
    foi por um conjunto de coisas muito grande que eu mudei, a morte da minha avo principalmente, foi no verao, e no inicio do ano letivo mudo para uma nova escola à qual nao me habituei nada bem!
    não me falta gente a dar-me carinho, e o meu namorado é o que mais me da, apoia-me em tudo o que eu preciso e vice versa, mas o carinho que eu preciso e de QUEM eu preciso ja nao o pode dar...
    Acho que é mais isso.
    Yah... Espero continuar a ser uma lutadora!
    Muito obrigada pelas palavras! =)

    ResponderEliminar
  2. Eu tambem espero continuar assim...
    Pelas minhas pessoas eu nao desisto =)

    ResponderEliminar