sábado, 4 de agosto de 2012


dirijo-te esta ultima carta, sim a minha ultima carta é direccionada a ti, infelizmente. prometi a mim mesma que a partir de um certo momento deixaria de me importar, deixaria de querer saber, deixaria de ficar atingida com os divergentes caminhos que seguimos, e após tantas frases bonitas ditas por alguém realmente amigo, sei que ainda não estou preparada para ultrapassar-te, para me acalmar todas as vezes em que tocam no teu nome, mas tenho de o fazer, pois tu já o fizeste e eu sinto-me inútil sem ti. (..) mas sim, um dia, eu irei fechar os olhos e irei esquecer tudo, irei reflectir os teus actos com outras pessoas, tal como tu estas a fazê-lo neste preciso momento, enquanto que eu ainda penso em ti e no quão inesperadas foram as tuas árduas palavras ou agressivas acções, mas apesar de tudo espero que ainda saibas que, eu posso cair, mas que nesse dia irei me levantar, mais forte e imparcial a qualquer palavra tua, ou a qualquer gesto teu, e nesse dia, não me fales. 

1 comentário: