quinta-feira, 18 de outubro de 2012


a verdade é que todos nós queremos ser especiais na vida de alguém, e por momentos ele veio-me à cabeça. lembro-me das primeiras conversas, e da forma como ele me agarrava. e neste momento, lembrei do quanto bom foi voltar a sentir o calor dele. estava a chover, o meu cabelo estava húmido e batia os dentes. eu estremecia, e as minhas pernas não estavam sólidas. empurrou-me e lembro-me tão bem, como se tudo isto tivesse agora a acontecer. eu estava agarrada ao telemóvel, ele tirou-mo e leu a mensagem, e riu-se para mim, um dos melhores sorrisos que já tinha visto. embirrou comigo, e depois de se aperceber que eu não tinha volta a dar, abraçou-me, agasalhou-me durante uns leves segundos. sorri interiormente, enquanto dizia alto para ele me largar. senti o cheio dele, o cheiro do seu perfume com o da chuva, um dos melhores cheiros que alguma vez senti. ele largou-me, caminhou ao meu lado durante aquele longo corredor como se algo estivesse por dizer, mas encolheu os ombros, olhou-me fixamente nos olhos, desta vez sem sorriso, desviou a cara e sentou-se no seu predilecto lugar. e os nossos olhos continuavam fixados um no outro.

Sem comentários:

Enviar um comentário