segunda-feira, 15 de outubro de 2012


com o tempo cuido da minha ferida. acabo por saber sara-la, por saber ultrapassa-la. vejo-te todos os dias de manhã, caminhas lentamente e por vezes olhas por mim. eu fixo-te no teu olhar, e gostava de esboçar um sorriso, como sinal de bom dia, mas não posso fazê-lo. tenho saudades tuas, acho que é a primeira coisa que me vem à cabeça, e não são só tuas, mas do teu sorriso. por vezes quero-te abraçar, e tão cedo, largar-te. quero saber de ti, saber como é esse teu novo irmão, se é tão calmo como tu, se chora muito e como são as tuas mãos de urso em comparação com o tamanho dele. quero saber como estás da tua orelha. dos teus pulmões. como estão os teus treinos para as competições. queria-te ter ao meu lado neste caminho, que percorro. estou sozinha, choro todas as noites, e na maioria dos casos nunca sei o motivo, e apesar de saber que não sabes nada, eu sei que me irias fazer sentir bem, irias dar motivos para sorrir, e tu irias ser o meu sorriso. tenho saudades dos teus beijos, e do teu perfume. volta rápido, por favor.

Sem comentários:

Enviar um comentário