quinta-feira, 11 de outubro de 2012


foram as minhas últimas palavras. as minhas últimas lágrimas, e o pior, é chorar e ninguém reparar. enquanto sorriu, imagino-te a sorrir comigo. sei que ainda te preocupas e olhas. quero embirrar contigo, mexer no teu cabelo torto, e aperfeiçoar o teu rosto nos meus rabiscos. quero tocar-te, pegar no teu casaco e sentir o teu cheiro. quero agarrar-te, beijar o teu rosto frio e pendurar-me nas tuas largas costas. quero sentir-te a meu lado, a olhar-me de cima e a mexer-me nos caracóis. brincar com os meus vans e chama-los de 'os ténis mais velhos que conheces'. quero sentir-me protegida ao teu lado, quero ouvir o teu riso, a tua voz. quero (..) bem, eu queria-te a ti, mas não te mereço, ou tu não me mereces a mim, pelo menos é o que o destino nos diz, por isso resta-me desejar-te um final diferente de todos os outros, com ela. 

Sem comentários:

Enviar um comentário