quinta-feira, 20 de dezembro de 2012


está gelado o porto, eu própria às vezes não consigo sair dele, embarcar à procura de novas ilhas. escondo-me entre os pequenos arbustos que este inverno deixou, e sem leite e café para me aquecerem a minha janela embaciou. estou iluminada por uma vela azul, que por sinal cheira a oceano, cheira a ti. perdida nos meus espalhados desejos encontro-me vazia. geralmente, nesta altura devia estar a sorrir ao olhar para ti, devia estar a mandar-te fotos de mim sozinha no sofá com um pacote de pipocas na mão à espera que viesses, mas não estou. a lua hoje está linda, o céu está preto e tu não estás aqui. apoderei-me de vícios estúpidos para me sentir útil e à noite arrependo-me de alguns, mas o meu barco continua na mesma corrente, e apesar de estar cheio de pequeninos furos nunca parou de remar. está frio, e tenho nariz vermelho de tanto me assoar. há dias que me falta papel para me limpar as lágrimas, noutros nem sei o que isso significa, e outros escrevo para ti. hoje estou a escrever, mas não é para ti, deixei de o fazer aqui, tenho medo que descubram a minha dor e que percebam o porquê das minhas lágrimas, sem eu própria descobrir primeiro. 

1 comentário:

  1. Que lindo!
    P.s. Sou a Nea, do antigo Never Give Up
    Este é o meu novo cantinho*

    ResponderEliminar