domingo, 30 de dezembro de 2012


'planear o futuro' foi a primeira frase que quis dar-te, futuro, o meu futuro. todos os dias acordo com a sensação que durante uns segundos dos meus sonhos estive ai, e por vezes chego mesmo a acreditar que sim. ruas cheias de pessoas, um quarto para mim e uma vida sem pais. quem diria que nasci protegida e vou ficar desprotegida em breve. uma nova língua, um novo rumo, novas pessoas, mas nunca sozinha, porque as memórias levo-as sempre comigo e elas acompanham-me todas as noites, quando me sinto só. mas sinceramente, escrevo para me aliviar, para me julgar deste ano, cheio de lágrimas mas ao mesmo tempo sorrisos. cheia de caminhos e ventos passageiros. talvez até tenha sido um bom ano, afinal de contas nem eu própria consigo saber se foi ou não. escrevi muitas vezes aqui enquanto passava noites em branco, ou dias a olhar para cima para não chorar. mas já chorei de tanto rir e cresci de tanto cair. mas caracterizo o meu ano como um caminho, errado ou não, mas que me levará ao futuro, ao meu futuro.

1 comentário: